A águia e a galinha

       O iluminado frei Leonardo Boff, em seu livro A águia e a galinha, nos brinda com a interpretação de um conto que dimensiona as possibilidades da natureza humana.
       Um peregrino passava por um sítio quando, perplexo, notou que uma águia ciscava milho e ração junto de algumas galinhas. O peregrino perguntou ao dono do sítio como se deu aquela situação, a águia, a mais livre de todas as aves, rainha dos céus, vivendo assim. O sitiante disse:
       -Um dia encontrei um filhote de águia na floresta e o trouxe cativo, criando-o junto das galinhas. Com o tempo ele se acostumou e agora não é mais uma águia e sim uma galinha, até não voa.
       - Não - disse o peregrino. - Essa ave tem alma de águia e, apesar de ter sido educada com uma galinha, se sua alma for tocada, ela certamente voará e será novamente uma águia.
       - Não, de jeito nenhum! - rebateu o sitiante. -Essa ave sempre será uma galinha.
       Os dois decidiram tirar a prova.
       Com movimentos delicados, o peregrino pegou pelos pés a assustada águia, colocando-a em seu antebraço, e disse:
       -Tu és a autoridade dos céus, símbolo de liberdade e iluminação. Voa!
       A águia, parecendo nada entender, olhou para o chão e para lá se dirigiu, voltando a ciscar com as galinhas. Ela foi educada para ser assim.
       Persistente, o peregrino tomou a águia do chão novamente e a levou ao telhado da casa, dizendo:
       - Tu és uma águia, abre tuas asas e voa para o infinito!
       E a águia, agora sentindo medo, planou de volta ao chão.
       O sitiante riu e comentou:
       - Eu lhe disse, ela foi educada como galinha e virou uma galinha!
       - Não - retrucou o peregrino. - Em algum lugar no seu interior existe a águia.
       E novamente ergueu a ave nos braços e, ao subir uma colina, levantou-a em direção ao sol, dizendo:
       - Águia, tu não és da terra, tu és do céu. Olha o sol, olha o horizonte com suas maravilhosas possibilidades! Estende tuas asas e voa, rainha das aves!
       Como num passe de mágica e com uma energia que estremeceu as montanhas, a águia soltou um grito de poder
       - "cau-cau" - e começou a voar cada vez mais alto, até se fundir com a paisagem e desaparecer no horizonte do planeta Terra.

       Reflexão

       A idéia dessa história é mostrar que nossa alma é composta de uma dimensão de águia e uma dimensão de galinha que devem ser aceitas e respeitadas por vezes. Medite nestas questões:

  • Em quais situações de sua vida é necessário agir de maneira mais tranqüila, simples, sem expectativas, e ficar contente com isso?
  • Em quais situações você age como uma galinha, mas sabe que tem aí dentro uma águia aprisionada?
  • Quando você vivencia situações de águia, com força, voando alto, fundindo-se com o infinito?
    Koan
    Quem está aí?
    Há um ditado budista que diz: "um cego enquanto
    cego é perfeito." O que significa isso para você?

 

Fonte: livro – Quero mesmo é ser feliz
Autor: Otávio Leal
Editora: Alfabeto