A LIÇÃO DA MAMANGAVA


Gilson Giombeli
     
 

     Tanto por falar! O mundo tão violento. E, eu aqui falando de mamangava.
Parece história de alguma cidade muito distante. Mas, não é! Parece algo inédito. Mas, também não é! É coisa da natureza. Parece que é dela, tão destruída, que vem lições e belas aos homens destruidores.

     Mamangava é uma abelha solitária. Pode até conviver em sociedade. Possui um tamanho grande. É peluda. É também conhecida por mamangaga, abelhão, vespão, vespa-de-rodeio.


Foto de Gilson Giombeli
Obs. Temos aqui uma foto da mamangava polinizando a flor de uma espécie de maracujá.

     É um “bicho” dócil. Mas, podem picar. Contudo, exige que sejam pegas e seguras com as mãos ou ameaçá-las. Assim, é um daqueles bichos que matamos por pura maldade, ou coisa do bicho homem.

      São nativas e possuem uma grande importância. Parece-me que há até uma lei para protegê-las. A Lei de Proteção número 5197, de 03/01/1967, diria que é proibido perseguir, destruir, caçar ou apanhar mamangavas.
Coisas de Brasil: lei de primeiro mundo. Quem cumpre? Quem vai para a cadeia? Pobre?! Ninguém?!

      Há cerca de 250 espécies no mundo. Inclusive em locais frios. Ela resiste bem nos climas frios. Isto é diferente da abelha melífera.

      No Brasil, há cerca de seis espécies de mamangavas descritas pelos cientistas.

     Mamangava: pertence a Família Apidae; ao Gênero: Bombus e, Espécie: Bombus sp (isto quer dizer que é uma espécie indefinida. Como são mais de que uma.)

     Qual importância dela? Esta abelha poliniza várias espécies. Contudo, ela poliniza o maracujá.

     Do ponto de vista econômico, o Brasil é o maior produtor e consumidor deste fruto. São produzidas 500 mil toneladas/ano.

     Maracujá: do tupi, temos; Mara e kuia. Significado: fruto que se serve ou alimento na cuia.

      Para polinizar a flor do maracujá é preciso do trabalho da mamangava. Ela é grande. Por seu porte consegue polinizar estas flores. Sem ela há pouca ou quase nada de frutificação.

     Veja algo interessante: a ciência cruza espécies de maracujá. Cria híbridos. Contudo, a abelha mamangava não reconhece esta nova espécie. A conseqüência é a baixa polinização e poucos frutos.

     Assim, há uma simbiose entre maracujá e mamangava. São duas espécies únicas! O maracujá possui uma flor única. A estrutura desta flor é encontrada somente na família dele. De onde veio? Como se formou? É evolução de que? Acredite, nem a ciência sabe! Com certeza, um dia vai descobrir.

     E a mamangava? Também é única. Mas, algo que quero destacar e que vem uma bela lição.

      Segundo o ponto de vista da aerodinâmica, a mamangava, é grande, pesada e suas asas são pequenas. Assim, pelas leis da aerodinâmica é impossível ela voar.

      Acredite, mamangava voa. Ela não só voa, mas, ela é a polinizadora do maracujá. Sem ela haveria uma perda imensa, tanto para o homem, quanto para a natureza.

     Lição: mesmo que tudo e todos te digam que é incapaz de ajudar o planeta, lembre-se da mamangava: faça a diferença, seja único, voe!!!!

     Se te disserem que para salvar o planeta é preciso de muito dinheiro e ser um exército, não acredite. Seja mamangava. Faça algo bem simples perto de ti. Penso que são ações simples que podem curar e ajudar a natureza. Penso que podemos e devemos fazer nossa parte. Parece-me que faz tempo que nos esquecemos de fazer as coisas simples. Lembre-se e seja uma mamangava: voe, polinize, ajude o planeta a se salvar. E, por favor, deixe as mamangavas onde estiverem. Deixe-as viver.

      Para provar que mamangava voa... ai vai mais uma foto...



 
 
 

Autor:
Gilson Giombeli
Fonte:
Texto Recebido por e-mail